Portal Nosso Meio

Banner superior Prefeitura de Sobral

Vídeos: tendências de produção audiovisual para 2021

Redação

Ficar por dentro das tendências do vídeo é se preparar para um futuro promissor e não ficar para trás, qualquer que seja a sua área de atuação. Vemos uma verdadeira revolução, com incremento sem precedentes em quantidade, qualidade e finalidade das produções audiovisuais, usadas para apresentar ideias, empresas e produtos, tanto quanto para educar pessoas ou dar suporte a clientes.

 

Atualmente 80% de todo tráfego da internet é de pessoas assistindo a vídeos, segundo white paper da Cisco. Uma tendência para produção de vídeo são as empresas que irão cada vez mais usar plataformas externas de vídeos. Com 79% de todos os websites que usam vídeos hospedando-os em plataformas externas, sendo o Youtube, de longe, o mais popular.

 

Há muitas razões para o Youtube ser a preferência, um dos exemplo é que 82% dos vídeos que aparecem na busca universal do Google são do Youtube. Dos 18% restantes, 5% vêm do Vimeo, 5% do Dailymotion e 8% é dividido para todo o resto da internet, segundo a Searchmetrics. Ou seja, se você quer ser encontrado nas buscas, vá de Youtube sem pensar duas vezes.

 

O YouTube não tem validade e ganha tração com o tempo, ao contrário de outras plataformas e redes sociais, em que vídeos e postagens possuem validade instantânea ou de dias. Isso significa que, ao usar o Youtue como plataforma de vídeos, com o tempo mais pessoas irão acessar o seu canal e voltar para assistir a outros vídeos, gerando um buzz escalável com o tempo, baseado em um investimento constante.

 

Novo Imposto

O YouTube vai aplicar novo imposto para criadores de conteúdo no Brasil sob toda monetização que tenha como origem os Estados Unidos. A plataforma começou a notificar diversos criadores de conteúdo brasileiros a respeito de alterações na política de retenção de ganhos, com isso, o acordo previsto para entrar em vigor no mês de junho, toda renda que for arrecadada com base no país norte-americano terá uma porcentagem tributada. A justificativa para esta ação é fazer com que os youtubers fiquem em conformidade com as leis do país.

 

Para ficar em conformidade com a solicitação e continuar recebendo os ganhos, é preciso fazer as alterações nas informações fiscais, como descrito no vídeo abaixo, dentro do Google Adsense. Dentro do ambiente de administração das finanças ganhas com vídeos, vai ser possível acessar um formulário onde os detalhes solicitados serão preenchidos e no final um documento em PDF é gerado, onde é possível fazer o download para armazenar a informação para futuros usos, caso seja necessário.

 

Mesmo sendo preocupante para alguns ter que lidar com tributos, é preciso ter em mente que não vai ser todo ganho na plataforma que passará por esse processo de divisão com os órgãos regulamentadores de ganhos dos EUA, mas sim a monetização arrecadada com base nas visualizações do público norte-americano. Então, quem não possui inscritos que residam nos EUA, não precisa ficar preocupado com possíveis quedas nos ganhos, já que, de acordo com esta nova jurisdição, o tributo do YouTube vai variar entre 0% e 30%. Vale lembrar que o preenchimento é obrigatório para evitar perdas maiores, pois quem não realizar a ação vai sofrer uma dedução de 24% em toda receita.

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp