Portal Nosso Meio

Banner superior Prefeitura de Sobral

O poder das collabs

Redação

 

Elas são a bola da vez.

O termo remete à ideia de colaboração e tem ganho força e intensidade na medida em que expande as suas muitas possibilidades, que outrora se davam apenas entre marcas e serviços de uma mesma categoria, sendo agora uma iniciativa trabalhada em diversas frentes, com direito à muita mistura. Cocriar, somar, fomentar são palavras-chave nessa jornada.

 

Mas, e o que vem a ser uma collab mesmo? Podemos aqui definir, condensando entre nós, num entendimento livre, tratar-se de uma estratégia para promover sinergia entre duas ou mais partes, geralmente criando um novo produto ou serviço, onde ambas potencializam seus ganhos. Essa colaboração pode se dar entre duas marcas de um mesmo segmento, a exemplo do que ocorre bastante no universo da moda- quem não amou ver a Farm e a Adidas juntas? Ambas as marcas são de vestuário, moda e calçados, mas usadas em ocasiões diferentes, portanto, não concorrem diretamente entre si. É possível também que ocorra uma parceria de collab entre segmentos diferentes, por complementaridade de consumo, por celebração de alguma data alusiva e, ainda, como temos visto bastante nos últimos movimentos, marcas e influenciadores somando suas forças e promovendo algum tipo de inovação.

 

Compartilhando um exemplo de uma realidade mais próxima, tivemos no Ceará uma collab entre água mineral e sorvete, numa ação de verão da Indaiá, juntamente com o Gelato San Paolo. Eles lançaram um sabor de sorvete sazonal, super refrescante com limão siciliano, batizado com o nome da marca de água. E o sucesso que foi o nosso tradicional picolé Pardal com o sabor da “cajuína” São Geraldo? Deu match absoluto.

 

 

O poder da colaboração vem de longe. Associações, entidades de classe e outros movimentos já tinham entendido, lá atrás, que juntos eles se faziam mais fortes. Mas uma observação relevante: seja qual for a sua ideia de parceria, faça a conta de trás para frente, parta do consumidor- aliás, é sempre gente. Faça-se perguntas como: os consumidores de ambas as marcas se admiram? As marcas em questão preservam suas reputações ou alguma se expõe demais à riscos? Uma potencializa mesmo a outra? Qual é o ecossistema em que elas estão inseridas? Eles conversam de alguma forma?

 

Há que se ter em mente que, para que seja uma trilha de collab bem explorada, a sinergia deve ser genuína. Juntos, os produtos devem ser melhores do que o são individualmente ou, do contrário, o consumidor, nosso rei, rejeitará de pronto e poderá entender como forçação de barra toda a ação.

Nunca é demais lembrar o velho ditado popular: “Diz-me com quem tu andas, e te direi quem és”.

 

 

Camila Coutinho

Nexum – Marketing e Estratégia

Publicitária, Especialista em Marketing e Mestranda em Administração, atua há 21 anos no mercado, tendo exercido gestão de pessoas Brasil afora nos últimos 16, acumulando experiências executivas e consultivas em empresas de pequeno, médio e grande portes nas áreas Comercial e Marketing, dos setores industrial e de serviços.

Nessa jornada, exerceu participação ativa em processos de transformação, liderando frentes de inovação, com destaque para a estruturação de novas áreas e projetos estratégicos, contribuindo para a Construção, Posicionamento, Reputação e Gestão de grandes marcas nacionais e internacionais, trabalhando ações ATL e BTL, com uso do ferramental de Marketing- Branding, Pricing, Marketing de Conteúdo, PR, Live Mkt, Experiência, Trade Estratégico e Operação Omnichannel, sempre com impactos positivos na última linha. Hoje lidera a Nexum, consultoria de Estratégia e Marketing.

Com forte crença na troca de conhecimentos, atua também como palestrante e docente convidada na pós-graduação da UNIFOR, nos MBAs das áreas de comunicação e negócios.

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp