Portal Nosso Meio

SG 360 Internas

Ipanema Comunicação produz mascote para Transvale e compartilha humanização das marcas

Redação

Com o crescimento das redes sociais, dos influenciadores digitais e a maior necessidade de aproximar público e empresas, os mascotes assumiram uma posição de cada vez maior destaque. O público atual tem outros focos quando decide de quem vai comprar. Não é mais apenas o preço que importa, mas a marca que o vende.

 

Os consumidores querem entender de quem estão comprando, o que as marcas defendem e como elas são. Se existe uma conexão, a chance de venda é muito maior. Tudo parte da confiança e credibilidade. As pessoas compram de marcas nas quais confiam e os personagens têm um impacto considerável.

 

Outra forma como o personagem ajuda é na aproximação com o público. A conexão tende a ser mais forte quando a marca tem uma personalidade e não é apenas uma corporação buscando lucro. O Nosso Meio conversou com Marcus Vinicius, diretor da Ipanema Comunicação sobre o crescimento da humanização das marcas com criação de mascotes e atendentes virtuais.

 

Recentemente, a Ipanema Comunicação compartilhou o portfólio do Tião, mascote da Transvale. “Nós criamos o Tião para Transvale, o Costelinha para Companhia Daterra, o Makinho para Maki Sushi Bar. O processo de criação é feito a partir do briefing, da persona, do perfil ideal de cliente. A gente tenta identificar que tipo de personagem conversa com esse público do cliente. Feito isso, vamos para criação dos traços, qual tipo e estilo de design se encaixa melhor no que a gente precisa criar”, explica.

 

As marcas estão buscando o uso de figuras carismáticas, como mascotes, atendentes virtuais para humanizar a empresa. Segundo Marcus Vinicius isso é importante para aproximar o público, para criar também uma personalidade para marca. “Criando personagens, você cria um porta-voz para a marca, onde ele pode representar vários tipos de posicionamento e de bandeiras para a empresa. Antigamente, se tinha questão dos garotos propaganda, para agregar valor, ser um porta-voz, e hoje, um atendente virtual pode representar todos os valores de uma marca e fazer essa aproximação. Então, para isso, é super importante ter algo que represente, que personifica a marca. A gente aposta na criação de mascotes como serviço para criar essa proximidade do público com os valores da marca do cliente”, explica.

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp