Portal Nosso Meio

Banner superior Prefeitura de Sobral

Entrevista com Carina Salgado

Redação

Carina Salgado, sócia-diretora da PHD Propaganda, fala sobre como o seu papel de Influencer trouxe bagagem para o setor digital

 

Carina Salgado que atua no setor de publicidade e propaganda há 14 anos, desde que iniciou na PHD, se tornou influenciadora digital, e com essa experiência aprendeu muito a lidar com as estratégias utilizadas no segmento digital. Dentro do setor de atendimento praticamente mistura seu trabalho com o trabalho do setor de marketing de seus clientes. 

 

O Nosso meio conversou com ela para saber mais sobre sua trajetória.

 

  1. Conta um pouco da tua trajetória no marketing 

Atuo com publicidade e marketing, de um modo geral, há 14 anos, desde que iniciei na PHD. Comecei como estagiária e fui me dedicando ao atendimento sempre com foco em estratégias e planejamentos. Sempre atuei muito próxima do marketing dos clientes, e muitas vezes, fiz esse papel em clientes de médio e pequeno porte. É um mundo apaixonante e por atualmente estarmos mais fundamentados em dados, conseguimos alcançar ótimos resultados.

 

  1. Como você atua na PHD Propaganda?

Comecei na PHD em 2008 e esse foi o meu primeiro contato com o mundo da publicidade. Busquei aprender um pouco de cada setor e me identifiquei com a área de atendimento, onde permaneci até 2013 quando me dediquei ao setor digital.

O mercado havia mudado e vimos a necessidade de entrar nesse braço da publicidade, foi então quando eu fiz especializações e cursos para entrar de cara nesse mundo. Hoje a PHD tem uma equipe exclusiva para o digital dos clientes, atuando desde a parte de conteúdos até performance e estratégias.

 

  1. Sobre o seu lado “infuenciadora digital”, como você virou referência em relação a estilo de vida e o que isso teve a ver com sua carreira como publicitária?

O lado influenciadora aconteceu de modo bem inesperado. Eu vinha vivendo uma transformação pessoal, onde buscava retomar minha autoestima depois de duas gestações. Neste momento eu estava vivendo conflitos internos, matrimoniais e profissionais. Isso aconteceu no mesmo período em que a empresa imergiu no mundo digital.. Então resolvi criar um perfil no Instagram para fazer testes, para entender melhor sobre algoritmo, dados das contas comerciais, enfim, para adquirir mais conhecimento para entregar mais resultado aos clientes. 

 

  1. Quando você começou a realmente perceber os resultados das suas postagens em relação à interações e engajamentos na rede social Instagram por meio do seu perfil?

Foi quando eu postei um “antes & depois” do meu processo de mudança pessoal e tive uma grande repercussão comparada a outras postagens. Muitos comentários, pessoas pedindo dicas, querendo também viver tudo o que eu estava vivendo. Houve realmente uma grande identificação de um determinado público comigo. Então sempre funcionou de forma bem natural, foi crescendo organicamente e hoje uso meu perfil como incentivo para ajudar, através dos meus relatos e da minha rotina, outras mulheres a olharem mais para si. 

 

     5. Depois de comprovar a relevância das redes sociais e utilizar como exemplo suas premissas dentro do setor digital da PHD, você pretende continuar sendo influenciadora digital? 

Hoje em dia ser influencer é uma profissão, né? É um mercado em grande ascensão e um meio de publicidade gigantesco, mas que requer, além do profissionalismo, MUITA responsabilidade. Como publicitária eu entendo todos os lados, o lado do seguidor/usuário, da influencer e da marca. Dessa forma consigo oferecer estratégias bacanas para meus clientes em seus negócios, consigo entregar da minha forma natural as publis para as marcas e consigo ter uma excelente conexão com minhas seguidoras. É uma relação realmente responsável e amiga que tenho com elas.

Além disso, ao mudar meu estilo de vida, elevei minha autoestima, ganhei um maior nível de autoconfiança e me tornei uma profissional bem mais dedicada e capacitada. Foi incrível a transformação que isso trouxe em diversas áreas na minha vida.

Acredito também que expandi meu perfil e passei a ter o poder de influenciar pessoas, devido a minha autenticidade e pela verdade em tudo que digo e faço. Sou bem transparente, simples e do meu modo em tudo. As pessoas percebem isso e me intitulam como “gente da gente”, isso traz proximidade e mostra como toda e qualquer mulher pode viver essa transformação.

 

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp