Portal Nosso Meio

Banner superior Prefeitura de Sobral

Entrevista com Alexandre Pedroni, presidente do Sinapro-Espírito Santo

Redação

Para darmos prosseguimento à série especial que homenageia as lideranças das entidades que representam o mercado da propaganda no Brasil, convidamos o presidente do Sinapro-ES, Alexandre Pedroni, para uma entrevista de profundidade em que detalha os bastidores da sua gestão à frente de uma das entidades mais representativa do mercado de comunicação no Nordeste.

 

1) Espírito Santo vem apresentando um bom desempenho na economia neste início de ano, o crescimento do PIB estadual está acima da média nacional, em torno de 2%. Essa boa expectativa de retomada econômica se reflete também para o setor publicitário?

Sim, mas poderia ser melhor. A economia do ES tem 34,5% de seu PIB composto pelas indústrias de transformação de empresas como Vale, Arcelor, Samarco, Fibria, entre outras. Boa parte dos contratos de comunicação dessas empresas estão concentrados em agências de fora do ES. Mas é claro que um ambiente de crescimento estimula o setor de serviços e iniciativas empreendedoras, que aquecem o mercado publicitário, porém longe da força que outros centros empresariais possuem.

 

2) Qual o verdadeiro cenário hoje do mercado publicitário em Espírito Santo? (impacto financeiro, recuperação, captação de recursos, demissões, gestão de equipe/novos regimes de trabalho etc).

 

Como a maioria dos mercados, a publicidade capixaba passa por um momento de grande transformação. Motivada pelos novos hábitos de consumo e novas plataformas de comunicação, as empresas buscam, através da uma gestão eficiente, adequar suas estruturas, processos e formato de contratação de profissionais, otimizar despesas e precificar os projetos com mais assertividade.

O mercado publicitário capixaba busca reestabelecer o protagonismo dentro das organizações, aliando cada vez mais tecnologia à criatividade estratégica e estratégia.

 

3) A média salarial do mercado de comunicação em Espírito Santo condiz com as oportunidades ofertadas e o perfil exigido pelas agências?

 

Para boa parte dos cargos. Um ponto de atenção são as oportunidades do setor digital, onde a oferta de vagas está maior que o número de profissionais. Além de empresas locais de outros segmentos concorrerem na contratação desses profissionais, com o fortalecimento do trabalho remoto, muitos estão optando em trabalhar para empresas de fora e recebendo em dólar ou euro.

 

4) Boa parte das agências consultadas (71%) na última VANPRO 2021 afirmam que as equipes de trabalho são impactadas por altos níveis de estresse e tensão. As equipes com maior nível de tensão atuam no grupo de empresas com receita acima de R$ 10 milhões, sendo apontado como muito alto por 47% delas; como médio, por 43% e como baixo, por 10% das agências. Em tempos de pandemia, saúde mental tornou-se um assunto em ascensão. O que o Sinapro ES vem fazendo sobre o tema e qual sua análise sobre os índices?

 

Temos a plena consciência que nosso mercado é feito de pessoas e que para entregarem o tipo de serviço que se espera, precisam estar com a cabeça e o corpo saudáveis. Além das trocas de ideias entre associados nos encontros, O Sinapro-ES também promoveu parcerias com clínicas de psicologia, oferecendo terapias online com valores acessíveis.

Boa parte das agências ofereceram esse benefício aos colaboradores, assumindo 50% do investimento e tendo quase 80% da equipe aderindo ao benefício.

 

5) Qual a sua análise sobre profissionais de outras regiões que se deslocam para atuar em agências capixabas, o mercado do estado está preparado e receptivo para essa demanda? 

 

Um dos principais fatores que trazem profissionais para as agências capixabas é a qualidade de vida. Os profissionais que chegam até aqui se deparam com um ambiente empreendedor com grande potencial e, paralelamente, condições de viver o que o estado oferece de melhor.

 

Outro ponto de destaque é o ambiente de tecnologia e inovação que tem absorvido muitos publicitários, designers e profissionais de marketing. O ES tem sido celeiro de startups de sucesso, como Wine, Picpay, Zaitt, entre outras.

 

6) Qual o papel do exercício da criatividade das agências de publicidade e propaganda em um contexto data driven, orientado por dados e pesquisas?

 

O papel principal da criatividade nesse contexto continua sendo criar desejo e gerar valor. Agora, com mais informações sobre o usuário e sobre os negócios, facilita na criação para uma comunicação assertiva e ainda mais próxima do consumidor. 

 

7) Quais são as principais dificuldades do mercado de publicidade no Espírito Santo relatadas pelos associados? O que falta para resolver tais pontos a longo prazo?

 

Além das dificuldades provenientes da transformação do mercado, o que foi consenso em nossa reunião de planejamento estratégico de 2022 foi a falta de representatividade do SINAPRO-ES. Esse único ponto, desencadeia uma série de problemas em várias frentes, como: atuação junto aos veículos, captação de novos associados, articulação com governo e outras entidades empresariais, negociação de convenção coletiva, entre outros.

 

Temos consciência que a (re)conquista desse espaço leva tempo. Além de manter nossos encontros periódicos para acompanhamento do planejamento definido, entre as ações primárias, realizaremos visitas aos principais players do mercado publicitário (veículos, governo, fornecedores e academia) para nos apresentarmos em unidade, levando pontos que determinam as melhores práticas para um ambiente de negócio saudável.

 

8) Por fim, qual sua mensagem para o mercado publicitário em 2022?

 

A pandemia trouxe grandes transformações para os negócios e vidas das pessoas. No mercado publicitário é um reflexo claro disso, vejamos: pesquisas indicam que marcas que se posicionam são mais valorizadas pelo seu público; abraçamos com mais veemência o universo digital; e aprendemos a criar de forma ainda mais colaborativa.

 

Em 2022, já num cenário pós pandêmico, espero que o mercado publicitário permaneça unido através das entidades e outros grupos empresariais, para consolidação das boas práticas e contínua evolução das estratégias de comunicação. A união continua sendo a chave das melhores realizações. 

 

Designer, iniciou em 2006 o curso de Desenho Industrial na UFES – Universidade Federal do Espírito Santo e se formou em 2011 em Design de Produto pela UVV – Universidade Vila Velha. Empreendedor por natureza, iniciou, em 2008, a empresa de design Gota Design. Pouco mais de dois anos depois, iniciou também um novo serviço, com escopo de publicidade e propaganda por meio da Chuva Comunicação Viva. Do design à publicidade, há mais de 10 anos atende e planeja estratégias de comunicação para clientes dos mais diversos segmentos, como o de varejo e indústrias (automotivo, shoppings, supermercados, atacadistas, construção civil, ONG’s, financeira e profissionais liberais). 

Em 2020, foi eleito Presidente do SINAPRO-ES, atuando como líder empresarial do setor e desenvolvendo ações em prol de todo o trade do mercado publicitário capixaba. Também é o realizador e Coordenador do tradicional Festival Colibri, que há 35 anos premia a criatividade no mercado publicitário capixaba.

Confira também:

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp