Portal Nosso Meio

Banner superior Prefeitura de Sobral

Pré- requisito de segunda língua faz diferença no mercado da comunicação?

Artigo de Opinião - autor

Prospect, lead, Inbound, Branding, Briefing e siglas como CTA, ROI, CMO e CMS são termos presentes e constantes no dia a dia de profissionais da comunicação. Por conta da rotina e convívio no circuito, acabam aprendendo e usando os termos, muitas vezes pronunciando erroneamente, mas ainda assim havendo comunicação.

Nasce então os questionamentos: até que ponto o domínio do idioma pode influenciar e determinar as conquistas profissionais? Até onde NÃO falar inglês pode causar perda de oportunidades e impedir conquistas profissionais? A resposta é direta: O ponto é maior do que você imagina! Falar inglês é essencial no mercado atual. Se você deseja crescer profissionalmente e galgar novos cargos você PRECISA ter autonomia para se comunicar em inglês de forma necessária para o mercado em questão.

Dito isso, entramos no debate de quão necessário é cursar 10 semestres de inglês e conquistar um certificado totalmente incompatível com a capacidade do aluno. Se você nos lê e pensa: “esse sou eu! Estou dentro desse grupo que começou várias vezes um curso de inglês, conclui, mas não me sinto apto a usar o idioma para conversar/argumentar/negociar.” Então, você faz parte da maioria dos brasileiros com pouco ou nenhum conhecimento no idioma.

Um levantamento do British Council[1]  e do Data Popular mostra que 95% dos brasileiros não têm conhecimento do idioma, 1% demonstra fluência e o restante se encontra na categoria de pouco à médio conhecimento. Assim como o profissional da comunicação precisa identificar o perfil do cliente entre visual, cinestésico e auditivo; alunos Business de ESL (English as a Second Language) e de ESP (English for Specific Purposes) que precisam de inglês para o trabalho, podem ter resultados mais efetivos encontrando sua identidade de aprendizado, selecionando o melhor método junto ao curso e procurando aulas direcionadas para o vocabulário específico em questão.

O mercado internacional, que no “novo normal” pós-pandemia, abriu portas e novas oportunidades de trabalho com o home office, vem sentindo a falta de profissionais que preencham suas vagas e demandas, tendo como pré-requisito o domínio técnico e o inglês. Muitos profissionais com currículo de brilhar os olhos e com uma experiência profissional incrível, vem ficando cada vez mais em segundo lugar por não falar inglês. Pode parecer bobagem e até arrogante, mas sim, English é o idioma oficial do mundo dos negócios em todas as suas vertentes.

O profissional que domina o inglês, tem o poder de escolher onde trabalhar, ofertar seus serviços a diferentes países e multinacionais, assim como galgar posições mais altas de liderança. Como exemplo vivo, temos a história de sucesso de André, um profissional que estava em busca de uma nova colocação no mercado e no mesmo momento uma gigante multinacional chegou ao seu estado. Em uma primeira tentativa, ele foi brilhante no processo técnico da seleção. Até chegar às entrevistas em inglês. Nos primeiros 5 minutos a entrevista foi interrompida com muita educação mas com a declaração de que não haveria sentido seguir já que ele não conseguia se comunicar e, com o contato direto com a Matriz internacional, inglês seria essencial. Ele então nos buscou, se dedicou, intensificou os estudos focados em entrevista de emprego e na função que desejava. Um ano após esse episódio, viu a mesma vaga disponível. Ou seja, durante um ano a empresa encontrava dificuldades em encaixar um profissional com competência em todos os pré-requisitos da vaga. Com muita negociação, foi permitida sua participação novamente no processo seletivo, passou por 7 turnos de entrevistas em inglês e hoje, contratado pela multinacional, é o gerente do Estado com autonomia para reuniões semanais com a liderança internacional.

Se sua meta é crescer no mercado de comunicação, coloque nas suas New Year ‘s resolutions aprender inglês direcionado da forma mais efetiva possível e abra as portas para as novas oportunidades.

 

 

Isadora Alves de Azevêdo

Graduada pela Universidade Federal do Ceará no curso de Letras – Português/Inglês
Titulada internacionalmente pelo Cambridge Institute
– TKT – Teaching Knowledge Test – uma certificação Cambridge para professores de Ensino de inglês como segunda língua
– FCE – First – certificação Cambridge de nível avançado, tirada em Dublin/Ireland.
Titulada pelo ETS:
– Título: Toefl
MBA em gestão de projetos e liderança – em andamento
Mais de 15 anos de sala de aula e coordenação de curso de idiomas, expertise em preparação para provas de proficiência, preparação de professores para o mercado de trabalho, treinamento em didática e classroom management, preparação de profissionais no Inglês Business e para entrevistas de emprego, preparatório de alunos que estão em processo migratório, inglês acadêmico para mestrado/doutorado e afins. Desde 2017, empreende no ramo de cursos específicos de inglês Business, fundando e dirigindo a Pisandelli Language School.

 


[1] Fonte:

https://oglobo.globo.com/economia/emprego/voce-realmente-fala-bem-em-ingles-ou-so-embromation-235775 52#:~:text=Dados%20do%20instituto%20cultural%20British,um%20ranking%20de%2070%20pa%C3%ADs.

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp