Portal Nosso Meio

Lista de transmissão

Dia do Comediante: a importância do humor nas campanhas publicitárias

Redação

Os profissionais da comédia conquistam admiração pelo bom humor e proximidade que geram com o público. Diversas campanhas publicitárias apostam nas risadas para alcançar bons resultados para a marca ou produto que está sendo anunciado. E hoje, 26, no Dia do Comediante, o Nosso Meio conversou com Ed Souza, Diretor de Criação e Coordenador de Mídias Sociais da Advance Comunicação, que conta sobre a importância de utilizar comediantes em campanhas publicitárias; e conversou também com Fábio Nobre, Diretor do Programa Nas Garras da Patrulha, para compartilhar como o comediante participa do processo criativo das campanhas.

 

Segundo Ed Souza, ninguém resiste a quem que faz o outro sorrir, e para uma marca que geralmente têm propósitos comerciais, os objetivos vão muito além. “A estratégia do humor sempre foi utilizada em propaganda e, mais do que nunca, ela aproxima as pessoas. A campanha publicitária, quando bebe dessa água do humor, deixa tudo muito bacana de se ver. Primeiro te faço rir e depois eu te apresento uma marca, um produto, um serviço e isso não é inerente apenas à cultura cearense, ela é do ser humano. Nós cearenses temos muito esse ingrediente da comédia e do humor para a publicidade”, explica.

 

“Antes de definir a estratégia do humor para uma propaganda, a gente analisa as necessidades de comunicação daquela marca que a gente precisa publicizar. Então, definindo a estratégia do humor com objetivo de aproximar as pessoas, a escolha do perfil do humorista tem outros desdobramentos que vão além das piadas. A gente faz uma triagem de como é aquele humorista nas redes sociais, se temos um comediante com uma base de seguidores forte porque é bacana quando ele é conhecido, quando podemos aproveitar isso para a campanha, esses são fatores que levamos em conta quando vamos pesquisar o perfil do humorista para trabalhar nas ações”, compartilha Ed Souza.

De acordo com o Diretor de Criação, entre os resultados que o comediante traz para a campanha publicitária, é a leveza que ele traz para a marca. “O humorista abre portas, abre sorrisos e no meio daquele sorriso a marca se apresenta. É uma forma que traz leveza para o que está sendo anunciado, traz uma lembrança em que o consumidor terá daquela marca que exibiu o serviço através de algo divertido de se ver. O comediante traz para a campanha essa facilidade de se relacionar com o consumidor, de falar a linguagem dele”, acrescenta Ed Souza.

 

“O consumidor, quando vê uma campanha em que o Fábio Porchat, o Tirullipa ou o Whindersson Nunes é o garoto propaganda, por exemplo, ele reconhece aquele perfil e percebe que o valor do humorista, de tratar a vida com leveza, é um valor que a marca está se apropriando. O comediante, principalmente nas campanhas regionais, tem uma importância muito forte, com valor cultural que nós temos. O humorista acaba ganhando um destaque nesse sentido quando a gente quer fazer uma campanha mais regionalizada. Ele fala com as pessoas de forma leve, conta uma história e a campanha ganha muito, isso potencializa o resultado do trabalho”, explica Ed Souza.

 

Um dos destaques da comédia regional é a turma do “Nas Garras da Patrulha” que já fez campanhas para diversos clientes durante os 20 anos de programa no Sistema Verdes Mares. “É impossível calcular quantos clientes já passaram pelo programa, mas para cada um conseguimos colocar a identidade do programa dando a satisfação ao cliente que nos contratou”, conta Fábio Nobre, Diretor do programa.

Uma das campanhas que mais marcaram a trajetória dos comediantes de Nas Garras da Patrulha foi o trabalho feito para a Jotujé Distribuidora. “Eles foram nosso primeiro cliente. Conseguimos de alguma forma fazer com que a marca tivesse o nome reconhecido como se fosse um produto do programa e não apenas uma campanha”, conta. “Quando a marca nos dá a liberdade de poder criar e fazer do nosso jeito, as coisas fluem e ficam mais atrativas, como foi com o Beach Park no início deste ano. Existem campanhas que nunca fizemos, como moda, pois não conseguimos com o formato do boneco usar as roupas que eles desejam anunciar”, explica Fábio Nobre.

 

Fábio compartilha que a presença de humoristas em campanhas deixa as ações mais leves e menos engessadas, mas o que precisa ser entendido pela marca que contrata é que nem todo merchandising com humor vai trazer retorno de venda, ou algo que se espera com números, mas sim, a visibilidade da marca. “Por exemplo o Garras fazia uma campanha da Corpvs segurança e pedia para que o público contratasse, o feedback da empresa era que muitos clientes viam a propaganda e lembravam quando tocava no assunto rastreamento veicular, que era o que a gente estava anunciando. Então, campanhas com bom humor servem muito para deixar a marca conhecida”, acrescenta o diretor do programa.

 

No processo criativo da campanha, Fábio ressalta que participa com ideias. “Tudo é brifado pelo cliente, de acordo com o que ele deseja anunciar, explicar ou vender. Mas é um acordo entre as partes, já tivemos clientes que enviavam os roteiros com fala só para colocar a voz do personagem, como também já criamos a campanha completa do cliente. Quando chega um novo anúncio, a gente busca os personagens que mais se encaixam na marca ou produto que será anunciado. Depois a gente vê o histórico da marca, o que já foi feito e o que podemos fazer diferente para atingir um outro público. Assim conseguimos fazer a propaganda sem mudar a identidade da marca, trazendo para o Nas Garras sem também mudar a identidade do programa”, conta.

 

Clique aqui e confira a matéria que produzimos sobre Beach Park e Sistema Verdes Mares se unirem em campanha com Nas Garras da Patrulha

 

Confira um dos vídeos da Campanha feita entre Beach Park e o programa Nas Garras da patrulha:

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp