Portal Nosso Meio

SG 360 Internas

Clubhouse: saiba mais sobre a nova rede social

Redação

Nos últimos dias, um dos assuntos mais comentados é a rede social Clubhouse que se transformou em uma grande febre inesperada. O aplicativo “exclusivo”, disponível apenas para iPhone, por enquanto, ganhou notoriedade recentemente pela presença de grandes figuras mundiais. O Nosso Meio separou as principais informações sobre a rede social.

 

O que é o Clubhouse

Lançado pelo empresário Paul Davison e um ex-fucionário do Google, Rohan Seth, em abril de 2020, o Clubhouse é uma rede social que usa áudio ao invés das mensagens escritas que vemos tradicionalmente. As únicas imagens presentes no aplicativo são as fotos de perfil dos participantes, que se organizam em salas de bate-papo com capacidade para até 5 mil pessoas. O sistema é parecido com o de videoconferências que se popularizou durante a pandemia: quando alguém quiser falar, é preciso “levantar a mão” por meio de um emoji e aguardar a sua vez. Em salas menores, no entanto, todos podem falar livremente. É exigido a presença de um moderador para eventos grandes, garantindo um controle maior de quem vai falar e quando.

 

Um dos grandes destaques do aplicativo é a questão da privacidade, cada vez mais importante, pois não é possível gravar as conversas e a própria plataforma também não armazena nada, a não ser que seja feita uma denúncia de violação dos termos de uso. Isso fez até mesmo com o Clubhouse acabasse banido da China, onde usuários tratavam de assuntos sensíveis na plataforma.

 

 

Rede social limitada

O Clubhouse possui um status notável de exclusividade em grande parte devido a rede social adotar, por enquanto, o modelo de convites de alguém já cadastrado. Quando você baixa o aplicativo, pode sincronizá-lo à sua lista de contatos do celular e ver se algum dos seus amigos e/ou conhecidos possui acesso e poderia chamá-lo para participar. Fora isso, não há outro jeito de entrar nessa onda. Com disponibilidade apenas para iPhone, o aplicativo conta com presença de celebridades e dificuldade de “pessoas comuns” conseguirem se inscrever.

 

A demanda tem sido tão grande, como mostra um crescimento de mais de 500% nas buscas pela plataforma no Google nos últimos dias, que tem gente até vendendo a possibilidade de acesso, o que, naturalmente, não é a proposta inicial dos desenvolvedores.

 

Como viralizou

Foi com Elon Musk, o homem mais rico do mundo que a rede chamou atenção. Depois que o bilionário participou de um papo sobre temas que foram desde a colonização de Marte, até a recente crise na bolsa de valores que envolveu diretamente o aplicativo Robinhood, cujo presidente executivo foi convidado por Elon para a conversa. Até o diretor do Big Brother Brasil, Boninho, usou o aplicativo recentemente para falar sobre o programa que vem sendo uma das atrações mais notáveis da televisão em 2021. Desde então, muita gente tem questionado como conseguir acesso à plataforma, o que não é tão simples assim, e do que exatamente se trata.

 

 

Celebridades mundiais

Esse aspecto VIP do serviço tem atraído diversas celebridades, pela relativa privacidade oferecida em um contato mais intimista com parte de seu público. O ator Jared Leto, a apresentadora Oprah Winfrey e o rapper Drake, já têm contas no Clubhouse. O fundador da Tesla, trouxe publicidade inédita ao aplicativo após participar, na semana passada, do “The Good Time Show”, um programa de entrevistas realizado na própria rede social.

 

Como participar

O aplicativo ainda é considerado como estando em fase de testes e, devido à complexidade de lidar com as salas enormes e o formato por áudio, os desenvolvedores ainda não conseguem liberá-lo para todo mundo. Por isso, a rede social adota por enquanto o modelo de convites. Se você não tiver pressa, é só esperar e eventualmente o acesso ao Clubhouse deverá ser permitido sem convites.

 

 

Oportunidades

Como já mencionado, é uma rede social baseada em salas de bate papo, vale lembrar que é um ótimo ambiente para inserir seu negócio, divulgando sua empresa e interagindo diretamente com seu público. O Clubhouse irá inicialmente estimular o usuário a seguir mais criadores de conteúdo, porque quando é criado o perfil, é possível já colocar todos os interesses: gosta de esportes, marketing, cozinha, tecnologia, comunicação, entre outros.

 

De acordo com o que insere nos interesses, o algoritmo já vai atrás de converter tudo isso em salas ou pessoas que o usuário possa ter interesse em conhecer. As salas de bate-papo dizem o horário ou a quanto tempo estão abertas, junto ao assunto que será debatido e os nomes de alguns participantes.

 

Sua marca pode ganhar bastante destaque nessa nova rede social usando a estratégia certa. A criação de comunidades através de salas de bate-papo permite que sua empresa crie um canal de comunicação efetivo não só com seus clientes, mas com outras pessoas que podem acessar essas salas se o tema for de seu interesse. O ponto principal, como todo projeto de marketing de conteúdo, é criar conteúdo que atraia seus potenciais clientes e tire dúvidas.

 

No entanto, é preciso entender o contexto do seu usuário, pois, em uma rede social baseada em áudio com longo tempo de exposição, é importante criar conteúdo mais aprofundado que entregue valor de verdade ao ouvinte.

 

 

Estrutura

No ícone das salas é possível ver o número de pessoas que estão participando junto com a quantidade de orados ou ADMS. Na tela principal tem um calendário onde mostra alguns bate-papos que ainda irão acontecer e o usuário pode marcar para ser lembrado quando começarem.

 

Atualmente avaliado em US$ 1 bilhão, o Clubhouse conta com mais de 600 mil usuários e deve seguir crescendo, principalmente após seu lançamento irrestrito para o público em breve.

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp