Portal Nosso Meio

Vacinou Acelerou – Interna

A importância dos influenciadores de vida saudável na era digital

Redação

Cuidados com o corpo e a estética em geral são fatores determinantes para a manutenção da autoestima. Olhar para o espelho e sentir-se belo(a) é o desejo da grande maioria da população, que têm utilizado as mídias digitais a seu favor em busca de dicas e inspirações para mudar o estilo de vida.

 

A evolução das tecnologias de informação e comunicação abriu novas oportunidades para a relação entre marcas e seus públicos, que foi se adaptando ao surgimento de novos canais de mídia e produção de conteúdo, como é o caso do Instagram – uma das redes sociais com maior número de engajamento e interação no mundo virtual. 

 

De acordo com Ingrid Machado, profissional de educação física e influencer nas redes sociais desde 2014, ser uma influenciadora de vida saudável é influenciar outras pessoas a ter uma rotina saudável e além do mais levar essa ideia como um estilo de vida. É ter em mente que a tão buscada forma física e estética corporal vem após adquirir bons hábitos, além de mostrar ao público o que se tem em casa e na vida.

 

“Já fiz muitas palestras, entrevistas e fui como embaixadora em vários eventos e programas relacionados à saúde como Costume Saudável, Saúde Fortaleza, que se tornaram grandes referências para minha profissão”.

 

Ela menciona que as principais marcas nas quais ela trabalha sempre são pensadas e estudadas por ela, já que a maioria aderem ao contrato duradouro, e assim se estabelecem como parte do seu dia a dia. “Primeiro pela conexão com a minha identidade. Antes de me tornar influenciadora de uma marca específica, tenho meu jeitinho de trabalhar, antes de fechar contratos longos, faço questão de conhecer, me tornar cliente e usuária da marca. Depois desse meu trabalho, fixamos algo mais duradouro.” 

 

Cibelle Figueiredo, administradora e há 4 anos influencer naturalista, explica que o diferencial desse nicho está no incentivo e estímulo que as pessoas obtêm a partir de uma relação de paz e muito amor pela comida mais natural, limpa e orgânica. Principalmente nesse nicho, que propaga a saúde e a rotina de hábitos saudáveis e exercícios. 

 


“O diferencial são os feedbacks que recebemos todo santo dia. Por promovermos exatamente aquilo que a gente já vivencia há anos (baseado em estudos e prática), sempre os relatos são falando de melhorias que as pessoas tiveram em diversos aspectos de suas vidas (mental, físico, espiritual), novas percepções, reconexão consigo e com o alimento, evolução, aprendizados, ensinamentos e muito mais. É uma troca rica e especial onde ocorre o famoso ganha-ganha (todos ganham)”.

 

Cibelle enfatiza que as marcas que as quais tem parceria agregam diretamente na sua carreira, pois oferecem ao seu “cliente seguidor” toda facilidade e bom atendimento, garantindo insumos, produtos e serviços de qualidade. “Acredito que é uma forma super prática, agilizada e eficaz (se a marca escolher bem o influencer do seu nicho) de apresentar seu produto ou serviço para um grande público, principalmente porque é algo que faz parte do nosso dia a dia. 

 

Ela complementa que o nicho de estilo saudável é o melhor para se trabalhar, pois além de todo mundo procurar se ajudar, também busca viver uma vida mais equilibrada, cheia de saúde, vitalidade e disposição. “É um nicho que aumenta muito a credibilidade, tanto do influenciador, quanto da marca. Além de tudo é onde o bom humor reina e a paz existe de verdade, não existem “haters”, somos todos um em busca do mesmo objetivo! Comer bem e ter a imunidade e saúde fortalecidas”.

 

Nina Gruska é nutricionista infantil e especialista em crianças e adolescentes atletas. Ela conta que iniciou esse processo de dar dicas nutricionais nas redes sociais de forma natural, principalmente depois de uma viagem que fez para a África, para concluir a sua monografia sobre crianças em situação de vulnerabilidade. 

“Acho que isso despertou a curiosidade dos estudantes de nutrição e nutricionistas. Depois, comecei a viajar para outros países e participava de congressos internacionais. Muitos nutricionistas me pediam para postar os conteúdos das Palestras ou Simpósios. Porém, muitos pais começaram a conversar comigo e achavam interessante. Nas viagens eu também mostrava o que encontrava, as escolhas que fazia, alimentos diferentes das mais diversas culturas, e assim, o número de seguidores foi aumentando. A partir daí percebi que conseguia passar informação de forma leve e acessível para muitas pessoas, então, continuei”.

 

Segundo Nina, os influenciadores de vida saudável, assim como ela, que é uma profissional da saúde com bastante influência, podem inspirar e impactar as pessoas de forma positiva de diversas formas. “Hoje, com um número maior de pessoas tendo acesso às redes sociais, percebo que a maioria dos conteúdos envolve o consumismo ou procedimentos estéticos. A principal vantagem é saber que muitas pessoas também têm interesse na ciência, na saúde e na busca de melhorar o estilo de vida da casa como um todo”.

 

A profissional também explica que a partir das redes sociais consegue atingir famílias que moram longe e que, antes dos atendimentos online, não teriam oportunidade sequer de se consultarem ou receberem essas informações. “Percebo que algumas dicas simples, como receitas ou orientações nutricionais podem ser inseridas de forma leve na rotina familiar e trazer benefícios para a vida dos pequenos atletas. Meu principal objetivo é fornecer informações sobre a saúde e melhoria de performance para os atletinhas e não, enaltecer o corpo magro, entende? Devemos quebrar alguns padrões e deixar de priorizar amenidades como se isso pudesse propiciar a felicidade humana”.

 

Ela finaliza contando uma experiência pessoal. “Quando eu era uma criança atleta, minha alimentação era “o contrário de saudável”. Sempre que invento uma estratégia ou brincadeira de educação nutricional para os meus pacientes, penso na minha criança interior. De algum modo, isso nos aproxima muito, né? Então, eu fico extremamente feliz que esses pequenos tenham esse tipo de acesso, coisa que não tive”.

 

Confira Também: 

• Profissionais de saúde: influenciadores ou autoridades?

• Marcas apostam em contratos mais duradouros com influenciadores

• Conheça 08 micro influenciadores do Ceará

 

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp