Portal Nosso Meio

Vacinou Acelerou – Interna

A humanização dos mascotes das empresas nacionais

Redação

Quem cresceu assistindo as diversas propagandas na televisão já está familiarizado com a maior parte dos mascotes de empresas nacionais, ou pelo menos com os mais famosos. Resultado disso, se dá no efeito da crescente humanização dos meios de comunicação e apresentação das marcas, principalmente aquelas que possuem mascotes, que estão apostando em visuais mais próximos aos de uma pessoa real.

 

Atualmente, a maioria das grandes empresas estão se adequando às novas demandas do seu público, principalmente quanto ao relacionamento entre cliente e empresa. O consumidor quer sentir que está falando de pessoa para pessoa e não com uma máquina. Agora, os clientes buscam por conteúdos e produtos apresentados por “pessoas” assim como elas, que pareçam mais humanas.

 

Pensando nisso, o Nosso Meio buscou trazer alguns dos principais mascotes nacionais que as marcas trataram de renovar o visual com o intuito de torná-los mais coerentes com as atuais demandas do público. Confira:

 

Casas Bahia – CB (antigo bananinho) 

A Casas Bahia apresentou ao mercado em 2020 o CB, antigo Baianinho, que agora é um menino adolescente que interage com o público nas redes, produz vídeos para os canais da empresa e se autodenomina um influenciador digital.

O personagem fala com uma linguagem leve, animada e expressiva, se comunicando com entusiasmo e sempre faz vídeos calorosos e com partes em Libra, reforçando sua preocupação com a inclusão além de abordar temas relevantes e levantar a bandeira da sustentabilidade.

 

Ponto Frio: Pinguim

O Pinguim acompanha o Ponto Frio, atual Ponto, desde os primeiros anos da rede varejista. Ele está presente no logo da empresa, o qual é usado na loja virtual e no blog e-Glu do Pinguim. Em 2015 ele foi estrela em comerciais de TV produzidos pela agência Y&R.

O Pinguim, que estava sem tanto destaque, reapareceu em abril de forma estilizada na nova logo da marca no formato de um emotion (dois pontos e um triângulo) e com um avatar mais realista, em 3D. O mascote ganhou nova personalidade  e promete causar nas redes de forma irreverente e um tanto arisco.

Cheetos: Chester Cheetah

Garoto propaganda do Cheetos (da Frito-Lay), Chester Cheetah é um guepardo louco pelo referido salgadinho. Criado em 1986, ele já foi tema de jogos de videogame que sem dúvida ajudaram a torna-lo famoso. Já atuou muito em TV e hoje integra o e-commerce Cheetos.

 

Natura: Nat Natura

“Consultora de Beleza Natura, Influenciadora Digital, Porta-voz da Natura, apoiadora de causas socioambientais e “mãe” do Murumuru”, é assim que se define a Nat Natura, assistente virtual da empresa, em seu próprio perfil no Twitter. A Nat foi criada em 2016 através de inteligência artificial (IA) para atender dúvidas dos clientes sobre presentes e hoje é uma das referências nos debates sobre a inteligência artificial e o branding no Brasil.

Amaro: Mara 

A Mara é uma modelo virtual que veste os looks e lançamentos da Amaro nas plataformas digitais. O projeto foi desenvolvido remotamente, durante a quarentena, por um time de 16 pessoas da empresa em conjunto coma Big Studios, produtora de conteúdo digital e animação 3D.

Em um primeiro momento, a Mara será usada exclusivamente nas campanhas de marketing da fashiontec. No futuro, a expectativa é de que o avatar seja desenvolvido e alimentado para atuar como uma interface de inteligência artificial.

Sucrilhos, da Kellogg’s – Tony The Tiger

Tony The Tiger nasceu em 1952 para promover a marca de cereais Sucrilhos, da Kellogg’s. O tigre foi escolhido em uma disputa que incluía, além dele, um elefante, um gnu e uma canguru chamada Katy. Em 1983, uma nova mudança no visual do tigre deixa-o um pouco mais musculoso. O “descolado” mascote passa então a ser usado para incentivar a prática de esporte entre as crianças.

 

Bradesco seguros – Cachorrinho

Sabendo da representatividade do cão no imaginário dos brasileiros, a Bradesco Seguros apresenta o Novo Top Clube Bradesco, seguro de vida, que tem o melhor amigo do homem como mascote.

Criada pela AlmapBBDO e com filmes produzidos pela Vetor Zero, a campanha apresenta animação 3D, mostrando a relação afetiva de uma família com sua mascote, um simpático cãozinho responsável por proteger a todos.

 

Pneus Michelin – Bibendum ou Bib

Bibendum não só estampa campanhas, adesivos, cartazes e como também os pneus produzidos pela Michelin.

No ano 2000, a mascote foi eleita pelo jornal The Financial Times e pela revista Report On Business como o melhor logotipo do mundo. O nome Bibendum tem origem na frase latina “Nunc est bibendum” (Bebamos agora), pois André Michelin costumava pronunciar a frase “O pneu bebe o obstáculo”- forma de defender as qualidades dos pneus de sua empresa.

 

Assolan – Assolino

A Mascote Asolino é uma embalagem animada do produto, com olhos, pernas e muito rebolado. O personagem ganhou conhecimento por dançar músicas de artistas conhecidos no Brasil como Calypso, por exemplo. Graças ao crescimento das vendas “Assolan – o fenômeno” – foi modificado para: “Assolan: o fenômeno que não pára de crescer”.

 

Confira também: 

• A humanização das marcas e suas tendências

• Humanização das marcas: utopias e desafios

COMPARTILHE ESSA NOTÍCIA

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp